Menu Vertical

Agenda de Eventos


Galeria de Fotos


Concursos Públicos


Dúvidas Frequentes


Correio Cidadão


Horário Atendimento


Histórico

Amaral Ferrador surgiu de uma sesmaria que fora requerida por Manuel Bueno de Vargas e Desidéria Maria Prates, sua esposa, que procediam de Itu, interior do Estado de São Paulo.

 

A Sesmaria dos Vargas começava na barra do Arroio dos Ladrões, seguindo Rio Camaquã acima até a barra do Arroio dos Vargas.

 

Naquea época, contava a nossa província com poucos municípios e a região sul-riograndense era invadida por imigrantes de vários países, pricipalmente portugueses e castelhanos.

 

Era o Rio Camaquã o Posto avançado da grande fortaleza Jesus, Maria, José, de Rio Pardo.

 

Seus primeiros povoadores, vieram na maioria do Estado de São Paulo. E as princiais famílias que aqui se instalaram foram Vargas, Sil, Leites. Amaral Ferrador surgiu na história juntamente com Encruzilhada do Sul, mas só apareceu nos registros a partir de 1816, quando foi criada a Paróquia de São José do Patrocínio.

 

A paróquia de São José do Patrocínio teve suas terras doadas por Desidéria Maria Prates, viúva de Manoel José Bueno de Vargas. Meia légua de terra foi doada para o estabelecimento desta capela, segundo despacho do governo provisório da Província de São Pedro do Sul.

 

Em 1823, Desidéria Maria Prates, por não ter recursos, foi obrigada a solicitar um engenheiro do governo da Província para balizar o terreno destinado à Capela de São José. O despacho saiu em 10 de maio de 1823 e foi o seguinte: " E.E.M. Remetida ao comandante do Distrito para proceder uma medição exata e judicial, chamando para elas as pessoas mais notáveis do lugar e não lesando a suplicante nas suas terras ".

 

A 12 de outubro foi assinada a lista de moradores do agora, Distrito de São José, que assistiram a medição dos terrenos para o logradouro da Capela São José do Camaquã ( Os nomes de São José, São José do Patrocínio ou São José do Camaquã variam em alguns livros, mas ambos referem-se ao mesmo local).

 

A lista foi assinada por 24 pessoas.

 

Antes de se tornar Amaral Ferrador, consta-se em diversos documentos, vários nomes como Capela de São José do Camaquã, Freguesia de São José do Patrocínio, Vila de São José do Patrocínio, Abolição e em 31 de setembro de 1949, a lei n° 47, no governo de Zeferino Pereira Luz diz o seguinte:

 

Art. 1º. A vila distrital de Abolição, neste município, passará a ter a denominação de Amaral Ferrador.

 

O nome Amaral Ferrador em homenagem ao valente guerreiro, General José do Amaral Ferrador, que hoje repousa seu sono de herói farrapo no seu seio. 

 

Não é difícil de encontrar moradores falando "Não vai na capela hoje?". Principalmente entre os mais antigos, referindo-se ao antigo nome da cidade.

 

O município de Amaral Ferrador surgiu aos 12 dias do mês de maio de 1988, estando na Micro-região Serrana entre as Lagoas Costeira, Coxilha Grande, Serra do Erval e a Fronteira Meridional do Brasil, Serra do Sudeste.

 

 

Previsão do Tempo

Acesso ao SIC


Portal Municipal


Receitas Diárias


Diárias e Passagens


Remuneração


Educação Fiscal


LEI Nº 12.527